Atendimento das 8:30 AM - 19:00 PM

A hipoglicemia é apenas uma das muitas complicações que o diabetes pode ter. A condição é caracterizada por um nível muito baixo de glicose no sangue. Quando o contrário ocorre, ou seja, o nível de glicose no sangue é mais alto que o recomendado, temos a hiperglicemia 

É importante citar que ambos os problemas são graves e indesejáveis — o ideal é que haja um controle e que os níveis de glicose no sangue não sejam nem altos e nem baixos. Neste texto, nós explicamos um pouco melhor o que é a hipoglicemia, listamos os seus sintomas mais recorrentes e ainda mostramos por que não diabéticos também devem se atentar ao problema.

Boa leitura!

O que é hipoglicemia

Como citamos, a hipoglicemia é caracterizada por um baixo nível de glicose no sangue. Se considerarmos que os níveis normais de glicose são entre 70 e 100 mg/dL, conclui-se que o volume de glicose abaixo de 70 mg/dL já é considerado hipoglicemia. Níveis entre 31 e 70 mg/dL são considerados hipoglicemia leve e abaixo de 30 mg/dL são hipoglicemia grave.

Além do diabetes, outras causas frequentes do problema são o aumento de exercícios sem orientação adequada, o pulo de refeições e/ou a ingestão de menos que o necessário, um exagero em medicações e o consumo de álcool.

É preciso tomar muito cuidado pois, nos episódios mais graves, a hipoglicemia pode causar perda de consciência e até crises convulsivas.

Principais sintomas e como resolver

No entanto, é fundamental identificá-la antes que algo assim aconteça. Alguns dos sintomas mais comuns e que ajudam a identificar um episódio de hipoglicemia são:

  • Tremedeira;
  • Nervosismo e ansiedade;
  • Suor e calafrio;
  • Irritabilidade e impaciência;
  • Confusão mental;
  • Taquicardia;
  • Tontura ou vertigem;
  • Fome e náusea;
  • Sonolência;
  • Visão embaçada;
  • Sensação de formigamento ou dormência nos lábios e na língua;
  • Dor de cabeça;
  • Fraqueza e fadiga;
  • Raiva ou tristeza;
  • Falta de coordenação motora;

Caso você sinta estes sintomas — e especialmente já tiver um histórico ou problemas com diabetes —, é fundamental tomar medidas rápidas o quanto antes.

Para tratar a hipoglicemia de forma imediata, o indicado é consumir de 15 a 20 gramas de carboidratos simples, como uma colher de açúcar ou uma colher de mel. 15 minutos depois, verifique sua glicose e confira se ela está normalizada.

Caso não esteja, repita o processo. Caso esteja, faça um pequeno lanche.

Atenção – não diabéticos também podem ter hipoglicemia!

Por fim, é preciso relembrar uma informação importantíssima: ainda que a hipoglicemia seja um problema muito mais comum em diabéticos, ela também pode acometer as pessoas que não têm essa condição.

Isso porque a falta de glicose no sangue pode ser uma das consequências de um excesso de produção de insulina pelo organismo após uma refeição — é a condição que chamamos de hipoglicemia reativa. 

Outros fatores, incluindo alto consumo de álcool, hepatite, distúrbios da glândula adrenal, hipófise, problemas renais e tumores pancreáticos também podem ser razões por trás da hipoglicemia em não diabéticos.

Mesmo que ela venha a ser um caso isolado, deve-se tomar cuidado; a hipoglicemia reativa pode ser um sinal precoce de diabetes.

E você, já sabia dessas informações? Gostou de saber mais? Se quiser continuar lendo o nosso conteúdo e aprendendo diversos assuntos relacionados à saúde, siga a Clincare no Instagram!