Vivemos uma realidade em que precisamos estar sempre produzindo, pois é isso que a vida exige de cada um de nós. Por outro lado, não somos máquinas; quando o corpo e a mente não descansam, eles mesmos cobram as consequências — uma hora ou outra. E, neste cenário de esgotamento, termos como burnout têm sido cada vez mais comuns e falados.

Mas você sabe exatamente o que é burnout? Para ter chegado até este texto, é provável que, depois de ouvir tanto sobre ele, esteja pesquisando para entender melhor do que se trata, certo? Pois é exatamente isso que você encontrará neste texto!

Na sequência, a Clincare te explica o que é burnout, lista seus sintomas e ainda indica o que você pode fazer para evitar que o problema aconteça. Afinal, se ele está sendo tão falado, é porque sua recorrência aumentou nos últimos anos. Considerando os males que este tipo de problema traz para a nossa saúde, saber como evitá-lo é fundamental.

Continue a leitura e entenda melhor o assunto!

 

O que é burnout?

A Síndrome de Burnout também é chamada de Síndrome do Esgotamento Profissional — e este nome diz muito sobre ela. O burnout está diretamente ligado ao excesso de trabalho, manifestando-se como um estado de estresse, exaustão mental e esgotamento físico constantes, desencadeados pelo ambiente profissional.

“Burnout”, em inglês, significa algo como queimado por completo. É como se a energia imposta fosse tanta que o corpo e a mente queimassem e parassem de funcionar como deveriam, ficando sempre cansados.

Quem descreveu o burnout pela primeira vez foi o psicólogo alemão Herbert Freudenberger, depois de diagnosticar o problema em si próprio no ano de 1974. No Brasil, a síndrome é reconhecida desde 1999, mesmo sendo pouco comum. De uns anos para cá, com o aumento de sua recorrência, a síndrome passou a ser reconhecida pela sociedade.

sintomas do burnout

Quais são seus sintomas?

O burnout tem dezenas de sinais, e são eles que indicam quando é necessário dar uma atenção especial à saúde. O principal deles é, como já citamos, a sensação de esgotamento constante, tanto físico quanto mental. Mas, além disso, há diversos outros sintomas que podem ajudar a identificar o problema.

A diminuição da produtividade, a ausência do sentimento de realização pessoal, a sensação de incompetência, o distanciamento dos colegas de trabalho e outros sintomas relacionados à depressão são os principais exemplos.

Estes, inclusive, são os sinais que exigem atenção por parte do paciente, indicando que é preciso buscar ajuda antes que o problema se torne algo cada vez pior.

 

Saiba como evitar o problema

Felizmente, o próprio Ministério da Saúde tem uma lista de medidas que podem ser tomadas para evitar o burnout. A maioria delas tem como objetivo fazer com que se saia da rotina, evitando que o trabalho seja a única coisa passando pela cabeça.

De acordo com a lista, algumas formas eficazes de minimizar o problema incluem:

  • Participar de atividades de lazer com amigos;
  • Fazer atividades físicas regularmente;
  • Ter uma rotina saudável de sono;
  • Evitar contato com pessoas que vivem reclamando;
  • Conversar sobre os sentimentos negativos;
  • Entre outros.

E aí, conseguiu entender melhor o que é o burnout? O que achou das nossas dicas para evitar o problema? Caso tenha gostado do texto e queira continuar recebendo este tipo de material, siga a Clincare no Instagram!

× AGENDE SUA CONSULTA