O dezembro laranja é um alerta contra o câncer de pele muito necessário. Disseminar a informação correta é o melhor caminho em prol de uma vida saudável. Por isso, desde 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia instituiu a campanha contra o câncer de pele em dezembro e chamou de Dezembro Laranja.

O último mês do ano foi o escolhido para promover ações de conscientização para evitar o câncer de pele. Afinal, é nesta época que todos nós estamos mais expostos aos raios solares. Vivemos o verão, vamos à praia, às cachoeiras, e quantas vezes a pele fica queimada nessas ocasiões, não é mesmo?

No Brasil, um em cada quatro casos de câncer são de pele, sendo o tipo de câncer mais frequente do país. Ao mesmo tempo, é o câncer com maiores chances de cura e mais difícil de espalhar para outras partes, ou seja, de fazer metástase.

Vamos entender mais sobre o câncer de pele?

Afinal, o que é o câncer de pele?

Todo câncer é caracterizado por um crescimento anormal das células em determinada região do corpo. Aqui neste caso, portanto, estamos falando do crescimento demasiado e desordenado das células da pele.

Existem dois tipos de câncer de pele: o melanoma e o não-melanoma. O mais fácil de curar é um tipo de câncer não-melanoma, o carcinoma basocelular, que corresponde a 80% dos casos e não é agressivo.

O tipo de câncer de pele mais perigoso, e também mais raro, é o melanoma cutâneo. Além de atingir mais facilmente uma área maior da pele, também tem o poder de fazer metástase, atingindo outros órgãos. Apesar dos poucos casos, sua incidência está aumentando em todo o mundo.

É importante conhecer bastante a pele do corpo para notar possíveis alterações que podem ser um sinal do câncer de pele. Seja uma nova pinta, um padrão de pintas que se espalha ou mesmo alguma pinta já existente que aumenta ou muda de cor. Conte com o apoio de um dermatologista se observar tais mudanças. Somente ele pode diagnosticar e tratar o câncer de pele.

Fatores de risco

Não existe um grupo que esteja imune aos malefícios do câncer de pele. No entanto, alguns fatores aumentam as chances de desenvolver a doença.

Pele clara

Pessoas com pele, olhos e cabelos claros contam com mais chances de desenvolver o câncer de pele. O risco se estende e é potencializado em pessoas albinas e com sardas. Quem tem pintas pelo corpo deve ficar atento às alterações dessas, como se tratando de pigmentação e tamanho.

Histórico familiar

Se alguém da sua família já apresentou o câncer de pele, é importante manter o monitoramento da saúde junto de um dermatologista, especialmente quando existe algum outro fator de risco combinado.

Histórico pessoal

Quem já apresentou anteriormente um câncer de pele ou uma lesão pré-cancerosa deve ficar atento, pois as chances de sofrer com o tumor são maiores. Quando uma pessoa tem câncer, fica curada e em seguida desenvolve novamente a doença, chamamos de recidiva.

Baixa imunidade

Quando o sistema imunológico é muito fraco, o câncer de pele encontra uma condição favorável para seu desenvolvimento. Enquadram-se aqui pacientes que tem leucemia ou linfoma, ou mesmo que estão em tratamentos que comprometem as defesas naturais do organismo. Pessoas que passaram por transplantes de órgãos também correm esse risco.

Exposição ao sol

Ofícios, profissões e ocupações que exigem que a pessoa fique muito tempo no sol. Por exemplo, vendedores ambulantes, trabalhadores da construção civil, agricultores, guardas de trânsito, entre outros. Esses grupos devem sempre se proteger da ação do sol.

Como prevenir o câncer de pele?

A pele é o maior órgão do corpo humano devido à sua extensão, e também é bastante diferente dependendo da região observada. É impossível ficar 100% longe dos raios ultravioleta A e B, maiores responsáveis pelo câncer de pele.

No entanto, é possível tomar algumas medidas para evitar esses raios:

  • Use protetor solar sempre, mesmo quando não vai à praia. Reaplique a cada duas horas;
  • Dê preferência para tecidos de algodão, mais eficientes em bloquear os raios ultravioleta;
  • Evite exposição ao sol nos horários que a incidência dos raios ultravioleta é mais forte, entre as 10 horas e as 16 horas;
  • Na praia ou piscina, usar barracas ou guarda sóis em lona ou algodão;
  • Usar sempre chapéus, óculos de sol e outros elementos de proteção solar;
  • Consultar um dermatologista ao menos uma vez no ano.

Sobre o dezembro laranja

O objetivo do dezembro laranja é promover todas essas informações à população em geral. Ainda existem mitos sobre o assunto, como por exemplo, sobre pessoas de pele morena não precisarem de protetor solar ou não terem risco de desenvolver a doença, o que é mentira embora o número de casos seja menor.

O câncer de pele tem uma alta chance de cura quando descoberto logo no início. É por esse motivo que sua conscientização é tão importante: pode ajudar a evitar problemas e salvar vidas!

Confira se na sua cidade existem ações relacionadas à campanha do dezembro laranja, tais como palestras, distribuição de materiais e iluminação laranja em pontos estratégicos da cidade.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a saber mais sobre o dezembro laranja e o câncer de pele. A Clincare prioriza a disseminação da boa informação sobre saúde para todos.

Consultas em Psiquiatria na Clincare

Precisando de uma consulta? Na Clincare você encontra alguns dos profissionais mais qualificados do mercado. Marque a sua consulta hoje mesmo!

× AGENDE SUA CONSULTA