Com o passar dos anos, é normal que o corpo comece a apresentar os sinais da idade, especialmente na pele. Queda na capacidade de formação de colágeno, elastina e ácido hialurônico e diminuição das glândulas sudoríparas e sebáceas são alguns fatores que acontecem no nosso corpo durante a terceira idade. Isso em junção com outras condições externas – excesso de sol, baixa hidratação, tabagismo, entre outros – podem levar à problemas comuns de pele na terceira idade.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) possui uma cartilha sobre os cuidados com a pele dos idosos. O material traz detalhes sobre as doenças dermatológicas mais comuns após os 60 anos de idade e dá dicas de cuidados diários para evitar que elas apareçam.

Segundo a pesquisa da SBD, câncer, micoses, ressecamento/espessamento de pele, manchas, alergia e psoríase são os problemas mais comuns de pele na terceira idade. Saiba mais:

Câncer de pele em idosos

O câncer de pele está ligado à quantidade de sol tomada ao longo de toda a vida, mas a idade avançada é um claro fator de risco. São vários tipos de tumor cutâneo que podem aparecer após os 60 anos e podemos dividir em duas grande categorias: o melanoma e o não melanoma. 

O melanoma é o mais agressivo e raro tumor. Ele se apresenta como uma pinta nova e irregular ou como uma mudança na cor e no formato de outra pinta já existente. Nos idosos, elas podem aparecer no couro cabeludo e no pescoço, mas é importante ficar atento ao corpo todo. Já o não-melanoma surge como uma espécie de espinha que não cicatriza depois de meses ou ainda feridas que crescem rápido, descamam e , eventualmente, doem e sangram. Nesse caso, as áreas expostas ao sol tendem a ser mais afetadas.

A prevenção consiste na utilização de filtros solares com FPS de ao menos 30 que deve ser aplicado diariamente, isso para proteger do excesso de radiação solar. O uso de bonés, viseiras e roupas com fator de proteção também auxiliam na precaução, além de tomar um cuidado especial com a exposição ao sol entre 10 e 15 horas.

A recomendação da SBD é que pessoas com mais de 60 anos façam um autoexame regularmente, com a ajuda de espelhos e de familiares, e um checkup anual com um dermatologista.

Queratose solar

A queratose solar forma manchas vermelhas e áspera na pele, que se apresentam como escamas. São comuns no rosto e braços e em pessoas com a pele clara. Essas manchas provocam coceira e dor e são consideradas pré-malignas, ou seja, têm risco de criarem câncer de pele no futuro. O ideal é procurar um médico para avaliar a remoção das manchas.

Micoses

As micoses são provocadas por fungos que se formam em ambientes com calor, umidade e falta de luz. Elas podem aparece na pele e na unha e são perigosas para os idosos, pois serve de porta de entrada para doenças sérias. O tratamento tópico, com cremes, sprays ou esmaltes, costumam ser o suficiente. 

Para ajudar a controlar o problema é necessário lavar e secar bem a pele, usar sapatos com maior ventilação de ar e expor a área afetada pela micose a cinco ou dez minutos de sol diariamente. Essas são algumas das recomendações, mas o ideal é passar por um especialista, pois cada caso é um caso.

Pele ressecada

Grande parte das pessoas na terceira idade terão a pele seca. Há formas de amenizar o ressecamento como caprichar na hidratação, evitar banhos quentes e demorados e não usar esponjas e esfoliantes. Essas situações são incômodas e podem favorecer à infecções.

Independente do problema é necessário o acompanhamento de um dermatologista, especialmente na terceira idade. Aqui na Clincare temos profissionais especializados para acompanhar desde a precaução até o tratamento de problemas de pele. Entre em contato e agende uma consulta.

Consultas em Psiquiatria na Clincare

Precisando de uma consulta? Na Clincare você encontra alguns dos profissionais mais qualificados do mercado. Marque a sua consulta hoje mesmo!

× AGENDE SUA CONSULTA