Pré-natal é o nome que damos para todo o processo de acompanhamento da gestante — desde a confirmação da gravidez até o momento do parto. Como mulheres grávidas precisam de cuidados específicos em relação à saúde, este acompanhamento é fundamental para garantir a saúde tanto da mulher quanto do bebê.

Mas, sendo mais específico, por que o pré-natal é tão importante? E, além disso, como garantir o melhor pré-natal possível? Se você está pensando em engravidar e tem essas dúvidas, este texto foi feito pensando em você!

Na sequência, a Clincare responde todas essas perguntas. Continue a leitura e confira!

 

Por que o pré-natal é tão importante?

Como você deve saber, a gestação é um período delicado. Na maioria das vezes tudo ocorre bem. Mas,infelizmente, há uma série de problemas que podem ocorrer, incluindo anemia, diabetes gestacional, alterações de pressão, entre outros.

O pré-natal é importante pois, com o acompanhamento, o médico é capaz de monitorar a gestante e, mesmo que haja algum problema, fazer o que for possível para que ele afete a mulher e o bebê o mínimo possível.

Para se ter uma ideia do nível de acompanhamento que pode ser feito, existem dois tipos de pré-natal. Além do convencional, em que a gestante não tem nenhum tipo de comorbidade que pode agravar a gestação, temos também o pré-natal de alto risco, onde o acompanhamento é ainda mais próximo — buscando diminuir os riscos da comorbidade.

Na maioria dos casos, a assistência é feita pelo obstetra e enfermeiros. Já nos casos de alto risco, o cuidado é tanto que profissionais de outras áreas podem ser envolvidos, como nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e médicos de outras especialidades.

No final das contas, o pré-natal é extremamente importante pois é ele quem garante uma gestação mais tranquila para todos os envolvidos — e, ao final, o nascimento de um bebê saudável!

melhor pré-natal

3 dicas para ter o melhor pré-natal possível

Agora que você já sabe a importância do pré-natal, é certo que quer garantir o melhor possível para a sua gestação, certo? Então acompanhe as dicas a seguir:

1. Tenha disciplina e organização

Para começar bem, é indispensável que você seja disciplinada. Não falte nenhuma consulta de pré-natal, faça e tenha todos os exames solicitados e, por fim, não ignore as orientações do seu obstetra — afinal de contas, ele entende do assunto melhor que ninguém.

Além disso, você também deve ter uma boa organização. Para garantir que todas as informações que precisar estejam sempre ao alcance, tenha uma pasta com seus exames, receitas e outros documentos que envolvam seu pré-natal.

2. Informe-se ao máximo

Esta mesma dica que nós estamos dando provavelmente também será dada pelo seu obstetra — o que reforça sua importância. Desde o início da gestação, busque todas as informações que conseguir.

Leia livros sobre gestação, tipos de parto, amamentação e todos os assuntos sobre os quais tiver qualquer dúvida. Lembre-se que informação é poder, e sabendo de tudo que precisa, você será capaz de tomar as melhores decisões ao longo do processo.

3. Tenha um planejamento

Por fim, uma dica relacionada ao parto em si. Você sabia que existe um documento chamado “plano de parto”? Nele, você pode escrever tudo que deseja para ter o parto ideal — sempre de acordo com as orientações do obstetra, é claro.

Tendo este plano, você reduz drasticamente algumas preocupações. Não será necessário, por exemplo, informar ao hospital e aos médicos responsáveis certas particularidades que você prefere no seu parto, visto que todas elas estarão descritas no plano.

A existência deste documento é especialmente importante para os casos de emergências, em que, dependendo da situação, você não conseguirá se comunicar imediatamente. Não é preciso ter nenhuma preocupação pois, neste caso, o documento fará isso por você.

E aí, futura mamãe, entendeu a importância do pré-natal? O que achou das nossas dicas? Caso tenha gostado do texto e queira continuar recebendo material, é só seguir a Clincare no Instagram!

× AGENDE SUA CONSULTA